segunda-feira, 7 de maio de 2012

Vem






Vem,
dá-me um longo abraço, meu amor...
vem abraçar as garças, as gaivotas,
voando, esvoaçando em derredor
com mil trinados loucos, delirantes,
e em seus bailados ébrios, incessantes
banhar-nos de carinho, de fulgor...

Vem...
dá-me um longo abraço, meu amor,
vem ver no mal o sol que declina
em mananciais de estrias e se anima
beijando as águas frias do seu mar
naquele abraço cheio de magia!

Vem...
dá-me um longo abraço, meu amor,
vem dar-me o teu abraço à luz da lua
que faz brilhar meu rosto, teu olhar,
vai-te despindo até que fiques nua
e sinta o corpo teu a me abraçar...
Depois, entrelaçados, sobre a areia,
sem medos, sem temer a maré cheia,
amemo-nos e diz p'ra mim: sou tua

E nesse sonho lindo, por te amar,
te peço, meu amor,
vem-me abraçar!!!



José Sepúlveda




7 comentários:

Carlos Rímolo disse...

Caro amigo e grande Poeta !!!

Perdoa-me a invasão de seu espaço. Temos amigos blogueiros comuns. Seu Blog. é belíssimo e os seus textos poéticos maravilhosos. Você tem o romantismo à flor da pele e, em bem menores proporções, eu também. Meus versos são assim. Já sou seu seguidor. Meus parabéns!
Beijos de luz !!!

Poeta Cigano - 14/10/2012

http://carlosrimolo.blogspot.com

EU disse...

Cá virei com tempo...:)

Teresa Almeida disse...

A impetuosidade do mar a avivar os sentidos e a abrilhantar as palavras do poeta.
Belo e intenso abraço no suave calor de fim de tarde.

Deixo o meu abraço amigo.

Teresa

Jose Sepulveda disse...

Só uma alma carinhosa e delicada faria um comentário assim, Teresinha. Beijinho

Cristina Pereira disse...

Lindo este seu canto!!!
Parabéns, José.
É uma honra par mim poder ler a sua poesia.
Um abraço amigo.

Cristina Pereira

Jose Sepulveda disse...

Obrigado, Cris, pelo teu carinhoso comentário

Jose Sepulveda disse...

Obrigado, Carlos, pela visita e comentário anistoso