segunda-feira, 25 de julho de 2011

Ternura

Foto de Kiro Menezes

De manhã, ao despertar,
De quando em quando,
Abro os olhos com desmando
Para ver teus lindos olhos
Me olhando, me olhando…

E se cedo, muito cedo,
Qualquer sonho me desperta,
Eu corro com afã,
De mente aberta,
Buscando o teu sorriso,
O teu calor,
Que me seduz,
Buscando com fervor
A tua luz,
Que só traduz amor.

O teu sorriso aberto,
Semi-encoberto
Entre os lençóis,
Vai, desperto, penetrando
Lento, lentamente,
No meu pensamento,
Na minha mente.

E quando dou por mim,
Caio perdido,
Entrelaçado
Na ternura
Dos teus braços…
Que loucura, amor!

E o meu corpo, a mente, a voz,
Já não estão sós,
Que alegria,
Que afinal
Eu e tu somos nós,
Ana Maria!

José Sepúlveda 
(Intimidades)



Conheça mais [CLIQUE AQUI]


4 comentários:

Drisph disse...

Vamos juntos, poeta, amar a tua Ana Maria! Lindo é sentir o sentimento alheio por entre linhas tão bem traçadas!
Bom dia ati, e a tua linda Ana Maria.
Abraços.

Jose Sepulveda disse...

Estive no teu Blog. Gostei. Vamos andar com esse projecto para a frente, menina. Não esmoreças. Eu cá por mim alinho. Beijo.

Beatriz Menezes disse...

UM BEIJO BEM GRANDÃO!

AMAR A ANA MARIA COM UMA POESIA TÃO LINDA, PERFEITA E COM AMOR!

Jose Sepulveda disse...

Obrigado, Bé querida...